Como as emoções influenciam a locução

Como as emoções influenciam a locução

Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

Você pode até pensar que não, mas as suas emoções influenciam a locução que vc faz, e não é pouco…

Oiii, como que vc tá hoje?

Vc deve lembrar de quando eu falei sobre qual o melhor tipo de locução, né? Então, o tema de hoje tem bastante relação com o que eu expliquei lá pra vocês… Sabe por quê?

Porque na locução natural, a nossa voz tende a ser muito mais transparente em relação às nossas emoções. E isso é um detalhe que muitas pessoas não percebem e que acaba estragando a locução delas. Na locução natural, a gente precisar ter muito cuidado com isso.

Eu não tô te dizendo que isso não acontece em outros tipos de locução, é claro que acontece, mas na natural isso é mais perceptível porque a gente não tem que empostar a voz. Muito pelo contrário! A locução tem que soar o mais natural possível.

Então qualquer mudança de humor, enfermidades, tristezas, TPM etc. podem afetar diretamente no nosso trabalho. E vc pode até me dizer “ahh Nadya, tudo bem, isso mexe na voz mesmo, mas na hora do trabalho tudo muda”. E eu vou te dizer que nem sempre.

Não adianta vc pensar que na hora de ir gravar a sua voz vai voltar ao normal, que vc vai ter total controle sobre seu corpo para que a voz saia natural. A gente pode ter controle da parte física (e já vimos que isso também influencia), mas a parte emocional não é tão fácil de controlar assim.

Por isso, eu quero discutir com vc hoje o que são as emoções e como elas influenciam a nossa voz. Acompanha a leitura comigo pra ver, também, como é possível perceber as emoções através da voz 😉

Emoções x sentimentos

Emoções e sentimentos até podem ser confundidos porque estão interligados, mas eles não são a mesma coisa.

A palavra “emoção” vem do latim “emovere”: “e” significa “externo”, enquanto “movere” significa “movimento”. Assim, a emoção existe a partir de um agente externo para causar movimento à nossa vida.

O que nos causa emoções são respostas químicas e neurais que nossos cérebros produzem de acordo com agentes externos (coisas que acontecem ao nosso redor) e que são baseadas em nas nossas memórias emocionais.

os sentimentos são uma resposta às emoções – é o como a gente se comporta frente a uma emoção, como a gente reage. Parece confuso, né!? E é um pouco, mas vamos descomplicar…

Olha o exemplo do medo:

Vc conheceu alguém e está se envolvendo, até que chega o dia de conhecer a família dessa pessoa. Enquanto têm pessoas que QUEREM conhecer a família do(a) companheiro(a), têm aquelas que morrem de medo só de pensar na cena.

Pra essas pessoas, o medo é uma emoção. E ela pode estar ligada a questões que aconteceram na infância (nas memórias emocionais), ou durante a vida, e que a tornaram uma pessoa mais introspectiva ou que prefere estar mais longe do centro das atenções.

Quando o medo bate (a emoção), a gente percebe, e a nossa consciência precisa atuar, afinal, o medo é uma emoção vital que condiciona muitas coisas na nossa vida.

Com esse processo consciente, a gente passa a se posicionar frente à emoção. É esse “posicionamento” que determina o que é sentimento, é o que a gente sente quando percebe a emoção.

Nesse exemplo, há, pelo menos, dois sentimentos possíveis, o medo e a coragem. Sim… o medo pode ser tanto emoção quanto sentimento, mas calma que isso não é confuso.

Quando a gente entende que tá com medo (que a emoção chegou), a gente pode ser tomado(a) pelo medo (mas agora conscientemente) ou pode ser tomado(a) por uma coragem. O medo que faz a gente tentar escapar e a coragem que faz a gente desafiar a situação são os sentimentos.

Ou seja, as emoções estão no nosso inconsciente, elas nos chegam sem que a gente queira. Já os sentimentos são parte do nosso consciente, é a gente quem determina como sentir alguma coisa, como sentir uma emoção.

Tente controlar seus sentimentos

Como não temos controle sobre as emoções que nos surgem, é importante que a gente saiba controlar nossos sentimentos. É só assim que conseguimos manipular nossa voz num dia ruim.

Vc acredita que conseguiria fazer uma locução se recebesse uma notícia muito ruim no mesmo dia? É difícil se imaginar nessa condição, né!? A gente sabe que a tristeza modifica completamente a nossa voz, então como conseguir manipular isso? Só através da manipulação de sentimentos mesmo.

Mas nosso foco não é esse… eu não quero te dizer como manipular sentimentos, afinal, isso varia muito de pessoa pra pessoa, e muitas precisam, inclusive, de ajuda profissional pra lidar com isso.

O que eu quero que vc perceba é que na nossa voz se notam as nossas emoções. E mais que isso, as emoções são percebidas até por falantes nativos de outras línguas. Tem uma pesquisa que comprova isso, olha só:

Emoções na voz

Em um estudo publicado na Revista Frontiers of Psychology, um grupo de pesquisadores tentou entender se as emoções são, de fato, sentidas através da nossa voz. O estudo aconteceu assim:

4 atores de nacionalidades diferentes (Índia, Quênia, Cingapura e Estados Unidos) tiveram que expressar 18 emoções distintas da forma mais natural e convincente possível, como se eles estivessem experienciando aquelas emoções naquele momento. Dessas 18 emoções, 9 eram tidas como positivas e 9 como negativas.

Depois que todas as vocalizações foram gravadas, 29 voluntários suecos ouviram as gravações e tentaram identificar as emoções que estavam sendo transmitidas nos áudios. Vamos ver os resultados.

Emoções positivas

Dentre as emoções positivas, os voluntários tiveram as seguintes taxas de acerto:

  • alívio 70%
  • lascívia (luxúria, sensualidade) 45%
  • interesse 44%
  • serenidade 43%
  • surpresa positiva 42%
  • felicidade 36%
  • divertimento 32%
  • orgulho 22%
  • afeição 20%

As emoções “felicidade” e “divertimento” foram confundidas muitas vezes, e isso se explica porque, geralmente, elas estão associadas. A média de acerto com essas emoções positivas foi de 39%. Agora vamos ver o outro cenário.

Emoções negativas

Veja as taxas de acertos dos voluntários:

  • nojo 63%
  • raiva 57%
  • medo 57%
  • tristeza 56%
  • surpresa negativa 53%
  • desprezo 44%
  • aflição 33%
  • vergonha 21%
  • culpa 20%

Novamente ouve confusão entre as percepções. A “aflição” foi confundida em muitos casos com “medo” e “tristeza”, enquanto “vergonha” e “culpa” foram confundidas entre si. Se percebe que, outra vez, houve confusão entre emoções que estão associadas.

A taxa de acerto com as emoções negativas já foi mais alta, 45% no total. Se fizéssemos uma média global de acertos, teríamos uma taxa de 42%. Isso pode parecer baixo, né? Mas não é! Sabe por quê?

Porque os voluntários estavam ouvindo áudios de pessoas de outras nacionalidades e culturas, ou seja, eles escutaram sons que não estavam habituados a ouvir no dia a dia e, ainda assim, conseguiram perceber as emoções que estavam presentes naquelas vozes.

Ou seja, provavelmente, se eles estivessem ouvindo vozes de pessoas que têm o mesmo sotaque e que vivem a mesma cultura, essa taxa de acertos teria sido maior.

Se um estrangeiro consegue perceber a emoção na nossa voz, imagina quem vive com a gente!

Emoções influenciam a locução

A partir disso, a gente pode afirmar, então, que as emoções influenciam a nossa locução. E mais que isso, as emoções podem e devem ser usadas para melhorar a locução. Eu já te contei antes como a interpretação é importante para o nosso trabalho.

E a interpretação não é apenas saber ler ou entender o que o texto quer dizer, no nosso caso significa saber “atuar”, “performar”… por isso, entender as emoções do texto é muito importante.

Quando a gente começa a discutir como usar as emoções na locução, precisamos entender que estamos falando de sentimentos, afinal, emoções são inconscientes. Se vamos manipular emoções, estamos manipulando, na verdade, sentimentos – a nossa forma de sentir o texto.

Então se um texto pede alegria, tristeza, dúvida, interesse, etc. precisamos entender como manipular esses sentimentos pra entregar o que o trabalho pede. Nós atuamos através da voz, e ela é suficiente pra entregar a mensagem da forma certa.

Imagine que vc vai fazer um comercial para uma propaganda de perfume, vc acha que a emoção solicitada seria “seriedade”, “felicidade”, “divertimento”, “aflição” ou “lascívia”? Muito provavelmente, seria “lascívia”, né!?

No geral, os comerciais de perfume trazem uma sensualidade aflorada e uma atmosfera mais voltada para a luxúria, que é o que as pessoas tendem a buscar em um perfume. Afinal, a indústria nos vende produtos como se eles nos atraíssem parceiros(as) interessantes.

Agora imagine que vc entrega um off com um sentimento de divertimento. A não ser que a proposta da marca seja associar o perfume com momentos de diversão, muito provavelmente, seu trabalho seria recusado. Por isso, é importante entender (interpretar) as emoções que o texto pede.

Comercial da Ame – como emoções influenciam a locução

A gente fez um teste com um comercial da Ame, para os bloquinhos de carnaval de rua do Rio, pra mostrar como um mesmo texto pode ser interpretado de diferentes formas.

Claro que a locução muda de acordo com a pessoa (se é homem ou mulher) e com a região em que ela vive, mas eu queria mostrar como um texto pode ter diferentes facetas e passar diferentes sensações pra quem está ouvindo.

Veja a versão oficial da propaganda que foi veiculada:

Esse é um comercial que eu fiz este ano para a Ame, mas todas as versões que vão aparecer aqui abaixo foram gravadas unicamente pra este artigo, vc não vai encontrá-las em usos comerciais 😉

O texto do comercial é o seguinte:

Pagou com Ame nos bloquinhos? Levou 4 latinhas por 10.

Ame… o meio de pagamento oficial do carnaval de rua do Rio. Baixe o aplicativo… e Ame sem moderação.

Pra quem não sabe, a Ame é uma carteira digital que realiza cashback (dinheiro de volta) nas compras de sites parceiros. A intenção do comercial era divulgar os benefícios desse produto e incentivar pessoas a aderirem essa oferta. Mas pra que isso ocorra, precisamos interpretar esse texto.

É normal que um cliente nos envie um briefing com direcionamentos (tipo de locução, tipo de personagem, público que buscam atingir etc.), mas nem sempre isso acontece. Tem cliente que manda o texto e diz: “preciso de uma locução natural, que não pareça de rádio”, e é isso! Nos resta interpretar.

Se esse fosse o caso aqui teríamos que pensar, pelo menos, nos seguintes aspectos:

  • quem está comunicando;
  • pra quem comunica;
  • como comunica (tipo de linguagem do texto);
  • quais emoções o texto pede;
  • quem sou eu nesse texto (que personagem sou);
  • se posso ou não colocar “cacos” no texto.

Além desses fatores de interpretação, temos que lembrar também do tempo que o off pode ter, se precisa ter tratamento ou não etc., mas essas questões sempre são informadas pelo(a) cliente.

Gravando o comercial

Decidimos gravar 6 versões desse texto. Enquanto eu gravei uma versão, 5 alunos do meu curso Locução Essencial gravaram as outras. Cada um recebeu apenas o texto e qual emoção deveria tentar interpretar, ou seja, cada um tentaria manipular os sentimentos para imitar uma emoção.

Bora ver os resultados? No final, eu quero que vc me conte nos comentários qual o comercial que vc acha que mais se encaixa com a proposta, combinado? 😉

O carioca

Se a propaganda é pro carnaval de rua do Rio, vamos ter um carioca nesse comercial! Quem gravou foi o Marcelo Batista.

A gente sente o sotaque carioca, né? Além disso, dá pra sentir que o personagem tá relaxado, como se já tivesse aproveitado algumas cervejas que comprou na promoção do app. A emoção que o Marcelo tentou reproduzir aqui foi a preguiça e é fácil confundi-la com o relaxamento, afinal, as duas andam juntas.

A senhora

A senhora foi feita pela Tânia Viana.

Além da voz modificada pra interpretar uma senhora, a Tânia conseguiu mostrar o cansaço que uma pessoa mais velha teria ao experimentar o carnaval de rua.

Era essa a emoção que ela estava tentando reproduzir, mas dá pra ver que não há exageros nas marcas de cansaço, e isso faz parecer natural. Até no final ela usa a pausa e mudança de tom (…baixe o app [sobe o tom] e Ame……… sem moderação) que ficam perfeitos pra personagem.

A fina

Já a mulher fina foi feita pela Halliny.

A mulher fina deveria parecer com dúvidas, desconfiada, uma emoção que, vez ou outra, a gente acaba experienciando, né!? Vc notou como a dúvida pode fazer até uma coisa tão simples soar estranha?

A gente escuta o comercial e pensa que é estranho mesmo, 4 latinhas por 10 é muito barato. E a Halliny ainda soltou um “ahhhh” no final, o que deu um ar de descrença ainda maior. O “baixe o app” com um tom de desprezo foi perfeito pra identificar uma personagem que não sairia no carnaval e, menos ainda, buscaria cerveja barata.

O paulistano

O paulistano feito pelo Jean é inconfundível.

A gente escuta e já percebe que tem um paulista perdido no carnaval do Rio.

Ele tentou reproduzir uma malandragem, alguém que vê a oportunidade de se dar bem com pouco esforço (ou pouco dinheiro, neste caso).

O Jean ainda colocou um “tá ligado” no meio do texto. Isso é uma marca bem importante de regionalismo que ainda ajuda a deixar o comercial bem coloquial, o que é perfeito pra intenção do texto.

O roqueiro

O roqueiro foi feito pelo João Fiore.

Este é outro que não dá pra confundir. A gente escuta e já sabe que tem um roqueiro por trás. A voz grave, mais vibrante, e o “ahhhh” já no início identificam o personagem de cara. Além disso, a emoção que o João estava tentando reproduzir era a raiva e ele conseguiu isso com perfeição.

A gente não tá dizendo que roqueiros são raivosos, essa não é a intenção. Só buscamos algum personagem que normalmente não se associa ao carnaval e que, por isso, não estaria muito contente com a promoção nesse evento.

É perceptível que o personagem causa um estranhamento, né? Essa falta de associação entre rock e carnaval faz o personagem soar muito estranho se estivéssemos buscando alguém em uma seleção.

A jovem

A jovem fui eu, Nadya, que fiz.

Aqui eu resolvi interpretar uma jovem que estava curtindo a festa. A emoção que tentei reproduzir era a felicidade, então ela não tem tons de dúvidas, não tem cansaço, e não tem nenhum sotaque muito marcado porque eu queria que fosse uma personagem que se identificasse com mais pessoas. E pra mostrar que essa jovem estava feliz na festa, eu incluí as risadas e um tom mais alegre.

Emoções na voz entregam comerciais diferentes

Eu tenho certeza que vc percebeu que todos esses comerciais são muito diferentes. Ainda que o texto e as imagens sejam iguais, cada locutor(a) entregou um trabalho completamente distinto.

Isso não tá marcado só porque nós não somos a mesma pessoa, mas porque cada um(a) colocou sentimentos diferentes (o que se pode manipular).

Vamos ressaltar que nesses casos, a gente manipulou sentimentos (alegria, incerteza, cansaço etc.) e não emoções. A gente não pode manipular as emoções, mas pode condicionar nossos sentimentos pra lidar melhor com a situação.

Pra fazer esses comerciais, a gente teve 1 semana, mas é difícil encontrar esse prazo no mercado. Então, pudemos gravar só nos momentos em que estávamos bem pra fazer aquilo, mas e se tivéssemos apenas 2 horas pra entregar o off?

Se eu estivesse irritada, chateada, triste etc., eu teria que manipular muito bem meus sentimentos pra conseguir não transparecer isso na minha voz. A gente já faz isso no dia a dia, né? Aí os outros falam que a gente tá bravo(a) e a gente nega, mas estamos. Imagina se um cliente percebe isso na sua locução

Vale lembrar que não são apenas as emoções que influenciam a locução, mas nosso estado físico também.

Locução e estado físico

No dia que eu tinha que gravar a voz para a Boneca Baby Alive, a minha voz estava um pouco grave, eu estava um pouco doente. Mas vc acha que isso me deu prazo pra eu entregar o trabalho em 1 semana? Não!

Geralmente, os trabalhos são “pra ontem”. Então, eu tive que manipular o como eu me sentia pra ficar bem e disposta e ainda manipular a minha voz pra ela parecer uma voz de criança. Isso não é muito fácil de fazer porque, às vezes, mesmo a gente tentando, não conseguimos manipular nosso corpo.

Mas quando a gente aprende isso, puta merda, não tem mais quem segure a gente nesse mercado. Se vc não consegue manipular como se sente para entregar as emoções que os textos pedem, vc acaba sendo um(a) locutor(a) de uma locução só. E esses locutores não vão muito longe.

Então, o segredo é treinar muito. Interprete emoções diferentes, vá se especializando no domínio dessa técnica que vc vai agregar muito valor à sua marca!

Você decide

Agora eu quero que vc participe com a gente. Me conta nos comentários aqui abaixo qual foi o comercial que vc mais gostou e qual vc acha que mais se encaixa na proposta.

Aproveita pra me contar também se vc percebe como as emoções alteram a sua voz e o que vc faz pra controlar isso 😉

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.

Post A Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *